A doença de Mondor integra o conjunto das complicações pós-operatórias das cirurgias de mamas e axilas. É diagnosticada clinicamente quando surge um cordão fibroso espessado na região subcutânea da mama e abdômen. Ela é resultante da formação de um trombo local e consequente obstrução do vaso acometido, que pode levar também ao comprometimento do sistema linfático.
.
Os principais sintomas são dor e retração da pele ao nível do vaso trombosado, o que causa limitação funcional importante aos pacientes. A queixa se agrava com a elevação do membro do mesmo lado, onde visualizamos uma ou mais linhas bem definidas, podendo ter até 15 cm de comprimento. O tempo de surgimento dos sintomas, em média, é de 2 a 4 semanas após a cirurgia.
.
O tratamento preconizado em nosso serviço, utiliza alguns conceitos da TMO – Terapia Manual Ortopédica, incluindo a Liberação Tecidual Funcional®️ @liberacao.tecidual.funcional , pois consegue tratar quase que imediatamente os sintomas, sem recidiva da doença. Enfatizamos a importância do acompanhamento adequado do cirurgião e fisioterapeuta especializado durante o pós-operatório, pois isso irá garantir rápido diagnóstico e um tratamento correto. Invista na sua saúde e encontre uma fisioterapeuta credenciada do @institutomarialtomare para realizar o seu tratamento.
.
Texto por: @fernandacastro_fisio
.
#institutomarianealtomare #credenciadasIMA
#liberaçãotecidualfuncional #LTF #fisioemtecidoscicatriciais #fisioemcirurgiaplastica #dicadoima #posoperatoriocomfisio #fisioterapia #fisioterapiaemcirurgiaplastica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *